A porta aberta





Era a hora certa...

Os olhares, a saudade, o carinho que trocamos... tudo denunciava a certeza de que não existia melhor momento para vivermos aquilo que adiávamos por anos...

Eu menti... sempre te quis, um desejo contínuo, vivo, pertinente... e naquele instante em que você me olhou, enxerguei com clareza que o recíproco se fazia presente...

Não... eu não podia fechar a porta. Se a fechasse, seria o fim de minha imaginação. Conheceria o prazer de cada toque, cada suspiro meu sobre seu corpo... sentiria suas pernas trêmulas ao gozo, e apreciaria sua face ao atingir através de mim, a plenitude das sensações...

Foi o misto entre o desejo e a cisma quem me fizeram fraquejar. Não havia melhor hora, eu sei! "Feche a porta" você pediu... pequei em ter medo de perder aquilo que mais apreciava... Sim, eu sempre te amei, e funcionou tão bem até aquele momento, como seria dali pra frente? Estar contigo era o meu mais gostoso devaneio, mas permiti que amanhecesse apenas com meu zelo em seu sono. Não... eu nao fechei... apenas deixei que o sol nascesse sobre a nossa noite mais promissora e "fail"...

Arrependido? Sim, não, ainda não sei dizer. Só sei que aprecio cada vez mais as nossas alegrias que temi perder ... e confesso que sinto saciado carregando apenas a certeza, a certeza de que você também me quer...


Ronaldo B
=)


Música para o momento:




2 leitores comentaram:

    On 16 de julho de 2010 13:20 MICHELE COUTINHO disse...

    NOSSA!!!!!!!!!!!

     

    muito bonito o texto!!

     

Obrigado pela visita!